• Fora de Estrada

Areia nos pés! Comida saudável! E uma vibe #aiprascurvas!

Por terras da Caparica, nas chamadas terras da Costa, há campos cobertos de plantações. Batatas, cenouras, couves e tantos outros legumes. Quem percorre habitualmente a estrada das praias pode muitas vezes encontrar quem as produz à beira do asfalto, bagageira aberta, venda directa a quem passa. Não é preciso certificado de qualidade, basta olhar para o ter. É apenas preciso parar, perguntar o preço e pagar.

A Costa é uma espécie de estância de veraneio para muita gente do Norte, mas é também um zona balnear urbana e destino de muita malta da margem direita do Tejo. Para muitos, a margem Sul é uma espécie de “jamais” onde não se quer viver por ser suburbano, por não ser “in”, mas é ver a malta amontoar pilhas de carros e aturar filas para virem “à sua praia”.


Muitos esquecem que os “locais” vivem do mar, ou das terras da Costa, ou dos serviços e negócios que pululam de gente entre o início da Primavera e o fim do Verão. Os ditos “locais” que calçam as havaianas em março e só as descalçam em outubro.


Claro que muitos dos que pela Costa passam só o fazem com o fito de estacionar onde der e percorrer alguns metros para se atirar aos areais da orla costeira. Praias não faltam. Estacionamento sim, falta! Já não há segredos nem “secret spots” por aqui.


Ou haverá?


Se há, então vou ser o “ultimate spoiler” e desvendar um deles. Não porque a moda seja desvendar “secret spots”, mas porque o que é bom deve ser partilhado. Pois bem! Serei eu esse “ultimate spoiler”!


Numa zona de estacionamento difícil, reservado a residentes, que ninguém respeita, comportamento o qual a Ecalma muito agradece a 30/40€ por viatura, numa rua secundária que mal se vê do paredão, existe um “spot”, pet-friendly, com uma ampla esplanada nas traseiras onde às vezes se dão aulas de yoga. A decoração é “floral” com inspiração “haway”. Abundam as madeiras, muitas delas cortadas e pregadas à medida por um hábil carpinteiro. Há tapetes grandes, almofadões, sofás que obrigam à preguiça… e há sorrisos!


Sorrisos de quem nos recebe, atende, ouve e serve! Sorrisos de quem chega e se senta, de chinelo e areia no pé, acompanhado do seu amigo de quatro patas. Sorrisos que se sentem na cozinha, no balcão de atendimento e nos pratos que se servem. Há amor, alegria, bem-estar, bem-servir…. KOA.


O KOA chegou de fininho pela mão de um jovem casal que um dia acreditou que era possível conseguir criar um conceito ambientalmente sustentável em que a comida saudável, equilibrada, confeccionada com amor era a base da partilha.


E sim, partilham!


Partilham essa paixão com todos quantos entram. Muitos são os que escolhem o Koa para o seu almoço, lanche, jantar ou simplesmente para dois dedos de conversa com um chá personalizado, que entram como “clientes” e acabam por sair como “amigos chegados da família”.


É isso que o KOA significa… família.


Todos sabemos que quando recebemos “família” o melhor gesto de amor é o que se coloca na mesa. O Verão sugere as taças de açaí, os bowls de fruta com gelado natural de morango, abacaxi, os bagels de salmão, de abacate. O Inverno pede panquecas com mel caseiro ou com doce de morango, iogurte com granola caseira, os chás que não se encontram em nenhum outro lado.



E os sumos naturais?

Aguenta “KOração”!!!! Beterraba, Abacaxi, Limonada de Pepino….

Muito, mas muito #aiprascurvas.


Mas há mais neste “secret spot”… e por estes dias em que ficar em casa é a palavra de ordem, há cabazes de legumes e fruta e um menu especial que nos é entregue em casa, como o mesmo sorriso e bem-servir de sempre.


Chamem-me “spoiler”… quero lá saber!


O Koa e quem nele trabalha são #aiprascruvas e eu sou da “família”.


Entrei como “cliente”, saí como “amigo”, regressei como “família” com a minha família. E regressarei sempre, com os pés cheios de areia, ou mesmo descalço.


Aíprascurvas


Para descobrir mais sobre o Koa:

Koa Instragam

KoaConcepts

Koa Facebook


85 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo