• Estrada Fora

Os spots são como os amigos

Atualizado: 25 de Mai de 2020

Há os ocasionais, interessantes, onde vamos de quando em vez porque calha, que é como quem diz, os conhecidos.



Há os recorrentes, presentes, onde é raro o mês, ou a semana, em que não vamos. Que é como quem diz, os amigos que estão.


E há os de vida, para a vida, âncoras, faróis constantes e sempre presentes a cada curva da nossa vida e onde, com alguma ironia, chegamos a não ir durante temporadas. Mas não faz mal porque sabemos que estão sempre lá, sempre prontos. Que é como quem diz, os amigos do peito (poucos, sempre muito poucos) que, de tão amigos, nem precisam de estar porque, em boa verdade, estão sempre... Mesmo quando achamos que não estão... E vice-versa.



Os spots são assim! Como todos, tenho vários, mas de vida, para a vida, tenho poucos!


Um desses spots esconde-se da estrada, entre uma curva e o mar, protegido por um forte e com um moinho de maré a dar-lhe o nome.


Desde que me lembro de ter carta e de andar #AiPrasCurvas Estrada Fora que me encontro com este meu spot de tempos a tempos. Umas vezes mais, outras menos, mas é meu... sou eu, é a minha cara. Como é de tantos outros, como é tantos outros, como é a cara de tantos outros.



Cravado numa pequena enseada, onde Cascais acaba e Oeiras começa, ou ao revés, o Bar Moinho é a minha praia... Não só por ter mesmo praia, não apenas pelo sentido da frase, mas porque, de facto, é o meu tipo de praia.


É que... para mim, a praia tem um problema grave e complicado de ultrapassar... tem areia! Sim, essa coisa dourada e idílica onde todos queremos ir quando o sol começa a dar o ar da sua graça, mas tem o péssimo hábito de se colar à pele e não sair.


Ninguém é perfeito, e eu não sou mesmo de certeza, mas não curto essa teimosia da areia. É por isso que o Bar Moinho é mesmo a minha praia!


Naqueles quê?... Duzentos e poucos metros quadrados de cabana e terraço temos as quatro estações do ano; a sala (Inverno), a esplanada (Primavera), as espreguiçadeiras (Verão) e a esplanada coberta (Outono).



É o spot para todo o ano, menos para as quartas-feiras. E sempre com alguma coisa de encher o olho para nos matar a fome, ou a sede. Seja uma salada fresca, ou uma tosta mais quente; seja a cerveja gelada, ou o sumo de fruta saudável acabado de fazer. Pelo meio, para quem aprecia, há sempre também o vinho, ou a sangria.


Mas há mais neste spot! Há a certeza de que uma vez nele, o lugar que escolhemos é o nosso... é um bocadinho da nossa casa fora de casa. De tal forma que, ir ao mar dar um mergulho e deixar para trás os nossos pertences (até mesmo um computador arrumado numa mochila debaixo da cadeira, sim!) é perfeitamente normal... afinal de contas, em nossa casa também é normal deixar o computador em algum lado!


Por estes dias tem estado fechado, como o Corona o impõe, deve estar quase a abrir para a ele poder voltar como em tantas outras vezes, umas , outras com namorada, outras com amigos de vida e outras, também já, com a prole... é que há que incutir nas crianças estes vícios bons da vida!



11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo